Como evitar os 10 erros mais comuns ao iniciar as sementes no interior

 Como evitar os 10 erros mais comuns ao iniciar as sementes no interior

Timothy Walker

Começar a plantar sementes dentro de casa pode dar-lhe um avanço na época de jardinagem e proporcionar uma colheita mais precoce na primavera, mas é um processo delicado.

As plantas são mais vulneráveis na fase de plântula, onde são susceptíveis a doenças e facilmente afogadas, pelo que necessitam de atenção e cuidados adicionais para garantir que sobrevivem a esta primeira fase crucial da vida.

Desde escolher o meio de cultura errado até não fornecer luz e calor suficientes às suas plântulas, há vários erros comuns que até mesmo os jardineiros experientes continuam a cometer quando começam as sementes dentro de casa e que podem fazer descarrilar os seus esforços. Como jardineiro, sei como pode ser desencorajador quando algumas sementes não germinam ou as plântulas não parecem perfeitas.

Vamos então explorar o que é cada uma delas e como evitar cometê-las para que esteja preparado para o sucesso!

10 erros que deve evitar no arranque de sementes em interior

Aqui está a nossa lista dos 10 erros mais comuns no arranque de sementes de interior que são normalmente cometidos tanto por jardineiros principiantes como por jardineiros experientes, e os nossos melhores conselhos sobre como evitar que ocorram em primeiro lugar:

1: Não fornecer luz suficiente às plântulas

Este erro é o primeiro da lista porque tende a ser o problema mais comum que os principiantes enfrentam quando começam as sementes dentro de casa.

Subestimar a quantidade de luz de que as suas plantas jovens necessitam resultará em plantas desgarradas e pernaltas que se tornam altas e instáveis à medida que se aproximam da sua fonte de luz insuficiente, tornando mais provável que os seus caules se partam antes ou durante o transplante.

As ervas aromáticas jovens precisam normalmente de, pelo menos, 10 horas de luz por dia, e os frutos e legumes jovens precisam de mais de 12-14 horas (dependendo da cultura).

Instalar luz artificial para dar às plântulas luz suficiente para serem saudáveis

A melhor maneira de garantir que as suas plântulas recém germinadas recebem luz suficiente é instalar lâmpadas de cultivo que pode ser comprado online ou em centros de jardinagem.

A grande época de sementeira em interior é o início da primavera, quando as horas de luz do dia ainda são limitadas, o que significa que o seu peitoril de janela fornecerá provavelmente muito pouca luz, mesmo que esteja virado a sul.

Suplementar as necessidades de luz com lâmpadas de cultivo que estejam a cerca de 10 cm das plantas é a melhor forma de evitar que as plantas passem fome de luz adequada, e deve certificar-se de que são ajustáveis para que as possa mover para cima à medida que as sementes crescem.

Se começar a semear no verão, um peitoril de janela virado a sul deve fornecer luz suficiente.

2: Não fornecer sementes & mudas com calor suficiente

Parte do objetivo de iniciar as sementes no interior é prolongar a estação de crescimento e obter um avanço quando o solo ainda está congelado.

A temperatura do solo precisa ser de aproximadamente 60-75℉ para a maioria das frutas e vegetais brotarem (certos alliums e legumes preferem cerca de 55℉), mas você deve sempre consultar o pacote de sementes para esta informação.

As sementes e as plântulas mantidas em condições de frio podem não germinar, ou as plantas germinadas tornar-se-ão fracas e de crescimento lento.

Como evitar condições demasiado frias

Muitos mestres jardineiros têm uma sala de cultivo/galpão ou uma estufa aquecida onde os termóstatos e humidificadores mantêm o calor ao nível ideal para a germinação e o novo crescimento.

Mantenha as suas plântulas numa sala quente da sua casa, numa prateleira alta, pois o calor sobe e elas estarão mais quentes perto do teto.

Os tapetes térmicos são um investimento acessível se tiver uma casa com correntes de ar particularmente fortes, uma vez que aquecem o solo a partir de baixo e podem mantê-lo à temperatura ideal para o crescimento.

As temperaturas nunca devem exceder os 90 graus centígrados, pois isso terá o efeito contrário e poderá esterilizar as sementes ou matar as plantas jovens.

3: Plantação de sementes demasiado densas sem desbaste

Ao plantar sementes, pode ser difícil encontrar o equilíbrio entre plantar o suficiente para ter em conta as falhas de germinação e plantar demasiado e ter tabuleiros de sementes sobrelotados.

Um problema comum é este último, em que as sementes são plantadas demasiado densamente, o que resulta em tabuleiros de sementes muito apertados, onde as plântulas jovens competem por recursos.

A menos que esteja a cultivar microgreens, tem de se certificar de que existe um espaço adequado entre cada planta para evitar enfraquecer todo o tabuleiro.

Desbastar as plântulas apinhadas

É provável que esteja familiarizado com o termo "desbaste", que consiste em remover as plântulas jovens para obter o espaçamento correto entre as plantas.

Muitas vezes, o verso do pacote de sementes indica o espaçamento exato a que as plântulas devem ser desbastadas, porque na fase de plantação é complicado tentar espaçá-las perfeitamente.

Para evitar tabuleiros de plântulas cheios, é necessário desbastar o mais cedo possível, cortando os rebentos indesejados ao nível do solo.

Pode também arrancá-las, mas isso pode por vezes arrancar as plantas vizinhas e perturbar as teias de raízes, pelo que é mais seguro aparar.

4: Cultivar sementes num solo de má qualidade

O solo é um dos componentes mais importantes para iniciar as sementes no interior, e precisa de conter todos os nutrientes e biologia essenciais para que os novos rebentos se desenvolvam.

Utilizar terra de má qualidade ou simplesmente encher os tabuleiros de sementes com terra do seu quintal é uma receita para o desastre, uma vez que com a primeira a sua semente não terá o que precisa para ter sucesso e a segunda pode introduzir doenças ou pragas nocivas no seu meio de cultivo.

As sementes cultivadas num solo pobre podem ou não germinar, e a planta começará a sua vida num estado já enfraquecido.

Como evitar a utilização de solos de má qualidade

A melhor maneira de criar um solo excelente é construí-lo você mesmo, para que possa garantir que contém todos os componentes essenciais para que as suas sementes germinem e as suas plântulas se desenvolvam.

O solo de sementeira deve ser leve e arejado, em vez de denso e pesado, para que a planta germinada possa mover-se facilmente através dele e criar raízes sem demasiada resistência.

Pode comprar um saco deste tipo de terra de sementeira num centro de jardinagem. Embora a turfa seja frequentemente recomendada, não é um recurso sustentável e recomendamos a utilização de outras misturas de terra mais ecológicas para a sementeira.

O solo deve também ter uma excelente drenagem que pode criar adicionando coco, perlite ou pedra-pomes à mistura, mas certifique-se de que estão em pedaços pequenos.

Pelo menos 1/3 da sua mistura deve ser composto ou uma fonte similarmente rica de matéria orgânica que tenha um bom equilíbrio de nitrogénio, fósforo e potássio.

Veja também: 12 melhores plantas companheiras para abobrinha e abóbora 3 para evitar plantar ao redor

Misture todos os ingredientes num recipiente grande antes de encher os tabuleiros e as suas sementes estarão preparadas para o sucesso.

5: Rega a menos ou a mais

A rega excessiva das sementes é um erro mais comum do que a rega insuficiente, mas ambos resultam em taxas de germinação fracas e num ambiente de crescimento inóspito.

A rega excessiva pode lavar as sementes recém plantadas ou criar um solo encharcado que faz com que as raízes das sementes recém germinadas apodreçam, o que quase sempre as mata. Pode também criar um ambiente propício à propagação de doenças fúngicas e causar o "amortecimento" (explicado um pouco mais abaixo nesta lista).

Por outro lado, as sementes precisam de água para germinar e as plantas jovens precisam, naturalmente, de humidade para sobreviver, sendo que uma quantidade insuficiente de água provocará o murchamento ou a falta de germinação. Quem disse que isto era fácil?

Como evitar problemas de rega

Geralmente, é mais fácil resolver os problemas causados pela rega insuficiente do que pela rega excessiva, por isso, seja prudente e regue menos do que pensa, ajustando depois para cima.

Para evitar o alagamento dos tabuleiros de sementes recém-plantados, molhe o meio de cultura antes de plantar para que as sementes sejam semeadas num ambiente otimamente húmido.

Quando as sementes estiverem germinadas, mantenha um programa de rega consistente que permita que a camada superior do solo seque um pouco entre regas.

A nebulização com um borrifador é uma boa forma de aplicar uma camada uniforme de humidade ou, se tiver a infraestrutura para o fazer, utilize um regador onde possa colocar os tabuleiros de sementes para que estas absorvam a humidade a partir de baixo e diretamente nas suas raízes.

6: Selecionar o recipiente de tamanho errado ou não "envasar

Escolher um tabuleiro de sementes, recipiente ou vaso de tamanho incorreto para a cultura que está a cultivar, ou não "envasar" as plântulas maiores, pode resultar em plantas infelizes e com raízes.

As plantas ficam presas às raízes quando estas ficam sem espaço no espaço limitado de um recipiente e começam a enrolar-se à volta de si próprias.

Isto faz com que seja difícil para elas adaptarem-se a um novo ambiente quando são transplantadas para um recipiente maior ou para o solo, uma vez que as raízes estão todas atadas num grande nó.

Se alguma vez comprou plântulas maduras num viveiro, terá provavelmente visto este efeito ao desenterrá-las, e é necessário soltar as raízes - o que pode danificá-las - para as tirar do seu emaranhado.

Como evitar o enraizamento das plantas

Escolha recipientes de tamanho adequado para as suas culturas e coloque-os num recipiente maior em cerca de 5 cm sempre que começarem a crescer mais do que os seus recipientes.

Por exemplo, se semear uma variedade pequena de alface, não é necessário plantá-la em vasos grandes de 6 polegadas, mas sim selecionar um tabuleiro normal 1020 com orifícios.

Por outro lado, quando se cultiva um vegetal maior, como a abóbora ou o tomate, é necessário espaço suficiente para que as suas raízes se espalhem e um vaso de 10 cm é uma opção mais adequada.

Sempre que a planta pareça estar a ficar demasiado alta ou larga para o seu recipiente, encha um recipiente que seja 5 cm mais largo com a mesma mistura de solo e volte a envasar a planta para proporcionar mais espaço para as raízes. Continue a envasar conforme necessário até à data do transplante.

7: Plantar as sementes na profundidade errada

Plantar as sementes demasiado fundo pode resultar em fracasso da germinação, mas plantá-las demasiado raso pode fazer o mesmo.

Como já sabe, as sementes de diferentes frutas e legumes variam enormemente em tamanho e forma, e todas elas têm especificações diferentes em termos de profundidade e espaçamento de plantação.

Algumas sementes de flores, como a snapdragon ou a camomila, precisam de luz para germinar e, na verdade, não devem ser enterradas de todo.

Como evitar a plantação à profundidade errada

Leia o pacote de sementes! Mesmo que já tenha cultivado este legume antes, leia o pacote para verificar os requisitos de plantação. Não há nada mais triste do que gastar dinheiro em sementes e não ter nenhuma delas a aparecer!

Se recebeu sementes aleatórias de um amigo ou perdeu o pacote original, uma boa regra geral é plantá-las a uma profundidade aproximadamente duas vezes superior ao diâmetro da própria semente. Tal como na rega, é melhor errar pelo lado da precaução e plantá-las demasiado rasas do que demasiado profundas.

8: Não proporcionar às plântulas suficiente circulação de ar

Uma má circulação de ar entre as plântulas, combinada com um ambiente demasiado húmido, pode criar um ambiente ideal para o amortecimento.

O amortecimento é uma doença fúngica transmitida pelo solo, causada por alguns agentes patogénicos diferentes, que faz com que as plantas jovens se tornem fracas e frouxas na base do seu caule.

Normalmente mata as plântulas, espalha-se como um incêndio e é difícil de tratar quando as plantas estão infectadas.

Como evitar o amortecimento

Embora o amortecimento também esteja relacionado com o excesso de rega, a causa mais comum é a falta de circulação de ar entre as plântulas amontoadas ou porque estão a ser cultivadas num ambiente estagnado e húmido.

Para evitar que esta doença infecte as suas plântulas, colocar uma ventoinha no quarto onde as está a cultivar (não demasiado perto para que esteja constantemente a soprar sobre elas) apenas para que estejam num espaço com fluxo de ar constante e circulação de oxigénio.

Além disso, siga os conselhos para os erros 3 & 5, desbastando as plântulas e regando com precaução.

Veja também: Vasos de rega automática: como funcionam, opções de bricolage e dicas de utilização

9: Não endurecer as plântulas antes do transplante

Esquecer-se ou simplesmente não endurecer as plântulas pode resultar em sérias decepções, uma vez que, depois de todo o seu trabalho árduo a semeá-las, as suas plantas podem morrer ou ficar atrofiadas logo após o seu transplante.

As plântulas precisam de tempo para se adaptarem ao vento, à chuva e à luz solar direta do exterior, depois de terem sido criadas num ambiente interior abrigado e controlado.

Uma vez que o transplante já é um choque para o seu sistema, convém facilitar este processo para as suas plantas, deixando-as adaptar-se lentamente às condições exteriores.

Como evitar mudas mal transplantadas

Deve-se sempre endurecer as plântulas, introduzindo-as gradualmente no mundo exterior, pouco a pouco, nas semanas anteriores à plantação.

Não se esqueça de marcar a data do transplante para saber quando começar o processo de endurecimento (geralmente 8-12 dias antes).

No primeiro dia, basta levar os tabuleiros ou vasos de sementes para o exterior durante uma hora e colocá-los junto a uma parede ou a uma barreira de vento semelhante, para que não sejam demasiado batidos.

Todos os dias, acrescente mais uma hora ao tempo que passam no exterior, de modo a que, quando os plantar, eles já tenham passado um dia inteiro no exterior!

10: Aplicação de adubo químico nas sementes

A aplicação de fertilizantes em sementes não germinadas pode causar sérios danos e até esterilizá-las. Isto é verdade mesmo para fertilizantes orgânicos, mas especialmente para fertilizantes sintéticos e químicos à base de glifosato.

As sementes brotam no exterior, no nosso grande mundo, todos os dias, sem a ajuda de fertilizantes, porque são pequenos pacotes de ADN e energia que só precisam do solo e da humidade certos para crescer.

Mesmo a utilização de fertilizantes fortes em plântulas germinadas e maduras pode queimar as suas raízes e fazer muito mais mal do que bem.

Como evitar esterilizar ou queimar sementes & plântulas:

Desde que tenha solo de alta qualidade, humidade, espaço e luz, não precisa de fertilizar as suas sementes.

Quando as plântulas estiverem maiores, não muito antes do transplante, pode dar-lhes um impulso com um fertilizante orgânico de algas marinhas ou algas, ou com um bom e velho composto envelhecido, mas nunca recomendamos a utilização de fertilizantes químicos sintéticos nas plântulas em qualquer fase.

Os erros de jardinagem são as melhores lições

Todos os jardineiros têm de cometer os seus próprios erros e aprender com eles, é um rito de passagem! Evitar estes erros comuns pode poupar-lhe tempo, dinheiro e desgostos, mas haverá sempre coisas que correm mal.

Uma excelente forma de aprender com os erros de cada estação é manter um diário de jardinagem onde pode anotar o que funciona e o que não funciona para que, no próximo ano, possa desenvolver o que já sabe.

Se é a primeira vez que cultiva a partir de sementes, lembre-se sempre de ler e seguir as instruções do pacote de sementes para obter informações específicas sobre a plantação e dê-lhes muito amor e atenção!

Timothy Walker

Jeremy Cruz é um ávido jardineiro, horticultor e entusiasta da natureza vindo do campo pitoresco. Com um olhar atento aos detalhes e uma profunda paixão pelas plantas, Jeremy embarcou em uma jornada ao longo da vida para explorar o mundo da jardinagem e compartilhar seu conhecimento com outras pessoas por meio de seu blog, Gardening Guide And Horticulture Advice By Experts.O fascínio de Jeremy pela jardinagem começou na infância, quando ele passava inúmeras horas ao lado de seus pais cuidando da horta da família. Essa educação não apenas promoveu o amor pela vida vegetal, mas também incutiu uma forte ética de trabalho e um compromisso com práticas de jardinagem orgânica e sustentável.Depois de se formar em horticultura em uma universidade renomada, Jeremy aprimorou suas habilidades trabalhando em vários jardins botânicos e viveiros de prestígio. Sua experiência prática, juntamente com sua curiosidade insaciável, permitiu que ele mergulhasse profundamente nas complexidades de diferentes espécies de plantas, design de jardins e técnicas de cultivo.Alimentado pelo desejo de educar e inspirar outros entusiastas da jardinagem, Jeremy decidiu compartilhar sua experiência em seu blog. Ele cobre meticulosamente uma ampla gama de tópicos, incluindo seleção de plantas, preparação do solo, controle de pragas e dicas de jardinagem sazonal. Seu estilo de escrita é envolvente e acessível, tornando conceitos complexos facilmente digeríveis para jardineiros novatos e experientes.além deleblog, Jeremy participa ativamente de projetos comunitários de jardinagem e realiza workshops para capacitar indivíduos com o conhecimento e as habilidades para criar seus próprios jardins. Ele acredita firmemente que a conexão com a natureza por meio da jardinagem não é apenas terapêutica, mas também essencial para o bem-estar das pessoas e do meio ambiente.Com seu entusiasmo contagiante e profundo conhecimento, Jeremy Cruz tornou-se uma autoridade confiável na comunidade de jardinagem. Seja para solucionar problemas de uma planta doente ou oferecer inspiração para o projeto de jardim perfeito, o blog de Jeremy serve como um recurso para aconselhamento em horticultura de um verdadeiro especialista em jardinagem.